Mastopexia

A mastopexia é um procedimento cirúrgico indicado para corrigir seios caídos. Há pacientes que na adolescência sofrem alteração de tamanho das mamas o que acaba resultando em ptose mamária (seios caídos), desde cedo. Outras pacientes sofrem oscilação de peso e as mamas são compostas por glândula mamária e gordura. Com isso podem desenvolver certo grau de flacidez de pele levando aos seios caídos. Outras pacientes experimentam esta mesma consequência após a gestação. De qualquer maneira, seja qual for a causa, o tratamento é um só: a mastopexia.

A Dra. Cristiane Todeschini é muito criteriosa quanto à avaliação das mamas no pré-operatório. É muito importante diagnosticar a presença de um nódulo ou cisto mamário antes da cirurgia. Por isso a todas as pacientes é solicitado ultrassonografia das mamas ou mamografia digital, dependendo da idade da paciente. No caso da presença de nódulos ou cistos a opinião de um mastologista é mandatória, até porque estas lesões podem ser retiradas durante o ato cirúrgico estético. “A estética das mamas é o nosso objetivo, mas não podemos esquecer que a saúde está sempre em primeiro lugar”, diz a Dra. Cristiane Todeschini.

A mastopexia pode ser acompanhada ou não de inclusão de implantes mamários. Se o problema da paciente for o mal posicionamento das mamas (caídas), mas com volume desejável pode-se reposicionar a mama somente com tecido da própria mama, não sendo necessário implante mamário. Agora, se a paciente além de ter seios caídos relatar diminuição volume dos mesmos e desejo de aumentá-los a inclusão de implantes mamários se faz necessária.

Segundo a Dra. Cristiane Todeschini, que atende na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, quando a paciente possui flacidez de pele, implantes de grandes volumes são contra- indicados pois esta pele não tem força tênsil suficiente para sustentar grande peso e a consequência disto pode ser o retorno da ptose mamária (seios caídos). A internação de 24 horas é indicada para pacientes que serão submetidas à mastopexia. Nestas 24 horas a paciente fica sob cuidados de uma enfermeira da equipe da Dra. Cristiane Todeschini , pois esta acredita que quanto menos a paciente movimentar os braços no pós-operatório imediato, menores os riscos de complicações.

As cicatrizes resultantes da mastopexia podem ser em forma de “cicatriz em raquete” também conhecida por “cicatriz em pirulito” ou então de “T invertido”. Isto vai depender da quantidade de pele que deve ser retirada para que a mama ganhe um formato mais harmonioso. Cada paciente é avaliada criteriosamente pela Dra. Cristiane Todeschini, que explica individualmente cada caso. As cicatrizes podem ficar avermelhadas no pós-operatório por um período que pode variar de 6 meses a um ano. Após este período, na maioria das pacientes, estas se tornam muito discretas.

Open chat
Fale pelo WhatsApp!